Como a estimulação ovariana aumenta as chances de gravidez?

Dra. Patrícia Varella Especialista em Ginecologia, Obstetrícia e Reprodução Humana Assistida

Sabia que a disfunção na ovulação é uma das causas mais recorrentes de infertilidade feminina? 

Pois é! Essa condição é mais comum do que imaginamos e pode ser o seu caso.

O fenômeno da infertilidade feminina traz muito sofrimento para a vida das mulheres.

A dificuldade em engravidar é responsável por angústia, frustração e problemas na relação consigo mesma e com o parceiro. 

Muitas mulheres desenvolvem ansiedade e depressão em decorrência desse problema. 

Entretanto, essa condição pode ser resolvida pela estimulação ovariana! 

Em muitos casos a estimulação ovariana também é associada a outros métodos de tratamento para infertilidade, a fim de obter maior chance de sucesso.

Então venha entender melhor sobre esse tema conosco! Nós abordaremos os seguintes tópicos:

  • Disfunção da ovulação e infertilidade.
  • O que é estimulação ovariana?
  • Reprodução assistida e estimulação ovariana.
  • Como a estimulação ovariana é realizada?

Vamos começar?

Disfunção da ovulação e infertilidade

Os óvulos (gametas femininos) da mulher são armazenados nos folículos, pequenas bolsas de armazenamento.

Múltiplos folículos são produzidos durante o ciclo menstrual, iniciando um processo de maturação. 

Nesse processo, apenas um folículo atinge a maturidade completa e libera um óvulo para ser fecundado. 

Isso quer dizer que a mulher tem apenas uma chance de engravidar a cada ciclo menstrual. Arriscado, hein?

Quando os folículos não se desenvolvem normalmente ou possuem falha na liberação do óvulo, entendemos que existe uma disfunção da ovulação, impedindo a fecundação de acontecer.

Esse problema pode ser resolvido com estimulação ovariana! Entenda!

O que é estimulação ovariana?

Essa técnica objetiva aumentar a ovulação por meio da administração de hormônios parecidos com os já produzidos pelo organismo. 

Os seguintes hormônios são responsáveis pelo desenvolvimento dos folículos: hormônio folículo-estimulante FSH e hormônio luteinizante LH, ambos secretados pela hipófise durante os dias iniciais do ciclo menstrual. 

A administração hormonal ajuda a aumentar o número de folículos, o que consequentemente aumenta o número de óvulos maduros e aptos para a fecundação. 

Assim, a dosagem de hormônios permite que mais óvulos sejam liberados pelos ovários.

Então quantos óvulos são liberados depois da estimulação ovariana? Bem, isso depende!

A dosagem hormonal administrada e o tratamento de fertilização associado à estimulação ovariana determinam a quantidade.

A estimulação ovariana pode ser associada a outros tratamentos para infertilidade, sobretudo às técnicas de reprodução assistida

Reprodução assistida e estimulação ovariana

A estimulação ovariana é a etapa inicial para os seguintes procedimentos de reprodução assistida: relação sexual programada, inseminação intrauterina e fertilização in vitro de alta complexidade.

Para decidir qual o melhor tratamento para cada mulher, é necessário a realização de exames ginecológicos diversos, uma vez que cada procedimento se utiliza de um protocolo diferente.

Imagine um casal que está se preparando para fertilização in vitro

A estimulação ovariana será com maior dosagem hormonal, podendo obter a liberação de até 15 óvulos durante um ciclo menstrual. 

Os óvulos serão fecundados em laboratório, com regulação do número de embriões inseridos no útero, o que ajuda a evitar a gestação múltipla.

Já um casal jovem que está se preparando para uma relação sexual programada e utiliza a estimulação ovariana, a dosagem hormonal é reduzida. 

Assim, a média de dois óvulos são liberados, de modo que uma gravidez múltipla não seja um risco.

Ainda ficou com dúvida sobre como é realizada a estimulação ovariana? Confira o próximo tópico!

Como é realizada a estimulação ovariana?

De modo geral, essa técnica é aplicada através do uso de medicamentos hormonais injetáveis ou via oral.

O período de administração hormonal varia de 8 a 15 dias. 

Há também realização periódica (2 em 2 dias) de exames para acompanhar atentamente a produção e maturação folicular. 

Assim que os folículos estiverem preparados para liberação dos óvulos, é aplicada uma injeção de hCG (hormônio) para induzir a mulher à ovulação.

Faça o melhor tratamento!

Agora que você já sabe como a estimulação ovariana aumenta as chances de gravidez, procure o melhor tratamento.

Agende já sua consulta com a Dra. Patrícia Varella, uma ginecologista especializada em reprodução humana.

Preencha o formulário e agende sua consulta

loading...

INFORMAÇÕES DO AUTOR:

Dra. Patrícia Varella Especialista em Ginecologia, Obstetrícia e Reprodução Humana Assistida

Médica formada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), também fez residência médica em Ginecologia e Obstetrícia na mesma instituição.
CRM-SP nº 93928