Diabetes gestacional

Dra. Patrícia Varella Especialista em Ginecologia, Obstetrícia e Reprodução Humana Assistida

A diabete gestacional costuma se desenvolver a partir do 3º trimestre de gravidez e afeta cerca de 7% das mulheres

Na maior parte dos casos essa modalidade de diabetes desaparece após o parto e não costuma gerar sintomas.

Entretanto, sem o tratamento adequado ela pode se complicar e se tornar diabetes mellitus tipo 2 dentro de alguns anos. 

Pensando nisso, vamos te explicar o que é, quais os sintomas e tratamentos para a diabetes gestacional.

Vamos começar!

O que é diabetes gestacional?

Ela é uma resistência à insulina produzida por hormônios relacionados à gestação, de modo que a glicose no sangue aumenta excessivamente.

A partir do terceiro trimestre de gestação aumentam as demandas nutricionais do organismo feminino. 

A mãe acaba passando a ingerir mais carboidratos para oferecer glicose suficiente ao bebê.

Ao mesmo tempo, a produção de insulina pelo pâncreas diminui e o açúcar no sangue aumenta, resultando na diabetes gestacional. 

Essa condição é mais comum entre mulheres que:

  • Possuem 35 anos ou mais;
  • Possuem obesidade ou sobrepeso;
  • Possuem gordura excessiva na região abdominal; 
  • Possuem baixa estatura;
  • São portadoras de síndrome do ovário policístico.

Mas como saber se você desenvolveu diabetes gestacional?

Confira a seguir!

Sintomas de diabetes gestacional

Na maior parte dos casos não surgem sintomas ou sinais relacionados à diabetes, por isso é fundamental manter o acompanhamento gestacional em dia.

Com o acompanhamento você realizará pelo menos 3 exames de glicose ao longo da gestação.

Nos casos em que surgem sintomas, são eles: aumento de apetite, visão turva, aumento da sede, infecções urinárias recorrentes, vontade excessiva de urinar e ganho de peso.

Esses sintomas são bastante comuns durante a gravidez e podem não estar associados à diabetes gestacional, por isso o acompanhamento médico é tão importante na confirmação do diagnóstico.

Bem, em caso de confirmação do diagnóstico, como é realizado o tratamento? Confira!

Tratamento para diabetes gestacional

O tratamento tem como objetivo ampliar a saúde mãe-bebê e evitar maiores complicações para o recém nascido, como distúrbios metabólicos e respiratórios.

A principal estratégia para tratar envolve a modificação de hábitos de vida, como alimentação e exercícios físicos, visando controlar o nível de glicose no sangue.

Nos casos em que a mudança de estilo de vida não é suficiente para regularizar o nível de glicose, é necessária intervenção medicamentosa.

Hipoglicemiantes orais ou de insulina podem ser prescritos, conforme orientação médica. 

Caso não seja tratada depressa, quais os riscos da diabetes gestacional?

Os riscos para a mãe são: 

  • rompimento precoce da bolsa amniótica; 
  • parto prematuro
  • aumento do risco de elevação súbita da pressão; 
  • feto não virar de cabeça para baixo antes do parto normal; 
  • e necessidade de realizar cesariana em razão do tamanho do bebê.

Já os riscos para o feto são: 

  • desenvolver síndrome de angústia respiratória;
  • aumento do tamanho do bebê; 
  • risco de obesidade na infância; 
  • doenças cardíacas; 
  • icterícia e hipoglicemia após o nascimento. 

Para evitar as complicações da diabetes gestacional, realize um acompanhamento médico especializado e completo!

Realize acompanhamento com uma ginecologista e obstetra especializada

Para realizar o pré-natal e acompanhamento com uma profissional competente e especializada, procure a Dra. Patrícia Varella.

Agende já sua consulta!

Preencha o formulário e agende sua consulta

loading...

INFORMAÇÕES DO AUTOR:

Dra. Patrícia Varella Especialista em Ginecologia, Obstetrícia e Reprodução Humana Assistida

Médica formada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), também fez residência médica em Ginecologia e Obstetrícia na mesma instituição.
CRM-SP nº 93928