Saiba mais sobre reprodução humana assistida

Reprodução Assistida é o nome dado a tratamentos que podem ajudar as pacientes a engravidar sem ter relações sexuais. Existe uma grande variedade de tratamentos e o que mais se adequa a cada necessidade irá depender de suas próprias circunstâncias. 

Dentre as principais opções estão: 

  • Inseminação intra-uterina (IIU)
  • Fertilização in vitro (FIV)
  • FIV com injeção intracitoplasmática de espermatozóide (ICSI)
  • Uso de doador de sêmen (inseminação de doador) ou óvulos (doação de óvulos).

Ainda existem outros métodos de reprodução assistida, mas que não são tão recomendados quanto os citados acima, que são regulamentadas por leis, códigos, resoluções e normas. 

Na clínica da Dra. Patrícia Varella, cada parto e cada tratamento é único. 

Um casal sem nenhum fator limitante para engravidar, tendo relações sexuais regulares (aproximadamente 3 vezes por semana) tem cerca de 25% de chance de conceber a cada mês. Após o período de 1 ano, 85% dos casais conseguem obter uma gestação. Entretanto, muitos casais não conseguem alcançar uma gestação e este número tem aumentado nos últimos anos.

A escolha do melhor tratamento dependerá da causa e da duração da infertilidade, bem como da idade da mulher. Mas, o que a maioria das técnicas de tratamento têm em comum é o objetivo de dar uma ajuda à natureza, para que o casal tenha uma maior chance de fertilizar, formar um embrião e uma gestação saudável.

Quando é necessário partir para a reprodução assistida?

O ideal é sondar essa possibilidade caso o casal tenha mais de 30 anos e não consegue engravidar depois de um ano de tentativas. 

Sabemos que, a partir dos 35 anos, a fertilidade feminina tende a diminuir, enquanto a propensão a uma gravidez de risco aumenta, bem como a probabilidade da concepção de crianças com síndromes genéticas.

Após a realização de alguns exames, recomenda-se a reprodução assistida se o número de espermatozoides do homem está nulo ou muito baixo ou quando, nas mulheres, há problemas persistentes na ovulação ou trompas obstruídas.

Alguns exames realizados quando há a suspeita da infertilidade conjugal são:

  • Dosagem de hormônios no homem e na mulher;
  • Nas mulheres, análise da ovulação, do útero e das trompas;
  • Nos homens, é importante realizar o espermograma.

O importante, antes mesmo de indicar uma inseminação ou fertilização, é que o especialista recomende medidas prévias, como uso de medicamentos e suplementos e mudanças no estilo de vida.

Para saber mais sobre a reprodução humana assistida, entre em contato com a Dra. Patrícia Varella!