O que fazer para aumentar a fertilidade na mulher

Antes de tudo, o sonho de ter um bebê pode ser mais difícil para alguns casais. Você sabia que a dificuldade de engravidar é muito comum? Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), estima-se que este problema atinja entre 8 e 12% dos casais em idade fértil. Se colocarmos esses dados em números reais, o número chega entre 50 a 80 milhões de pessoas.

Mas afinal, porque isso acontece?

Há diversos fatores que podem afetar uma gravidez. Assim, podemos citar aqui a alimentação inadequada, alterações hormonais, estresse, tabagismo entre outros fatores.

Dessa forma, vamos entender os princípios que ajudam na fertilidade da mulher, além dos fatores que levam a diminuição da mesma.

Idade: fator influente na fertilidade feminina

Primordialmente, a fertilidade nas mulheres começa por volta dos 12 anos de idade e vai diminuindo a cada ano, até cessar completamente durante a menopausa. Depois dos 35 anos, aumenta a proporção de mulheres com problemas de fertilidade, abortos espontâneos ou outras complicações para o bebê. Portanto, olhando do ponto vista biológico, o tempo ideal para tentar uma gravidez é antes dos 35 anos.

Dessa forma, mulheres que desejam engravidar, entre os 20 e 40 anos, buscam formas eficazes de conseguir. Um dos métodos mais utilizados é a tabelinha, onde ela observará seu ciclo menstrual e dias de ovulação. Assim, saberá quando é seu período fértil, sabendo quando deverá ter relações para engravidar.

Mas porque a fertilidade diminui com os anos? A medida que a mulher envelhece, fatores ligados a fertilidade mudam, como:

  • Ciclos menstruais irregulares, o que desfavorece a fertilização;
  • O revestimento do útero começa a ficar mais fino, menos apropriado para implantação de um embrião;
  • Excesso de peso pode afetar a fertilidade, e tende a ser comum, quando a mulher fica mais velha;
  • Menor número de ovários viáveis. Para mulheres que sofrem de menopausa precoce, os óvulos acabam muito antes do normal.
  • Por último, as doenças que afetam o sistema reprodutivo. Dessa forma, podemos citar a endometriose, a síndrome dos ovários policísticos, entre outros.

Mas afinal, o que fazer então para o aumento da fertilidade? Existe alguma coisa que ajuda nesse aspecto?

Fatores para aumento da fertilidade na mulher

Em suma, vamos listar os principais fatores para aumentar a fertilidade da mulher, além dos seus prós e contras relacionados. Dessa forma, temos:

Alimentação

Antes de mais nada, pesquisas e estudos atuais mostram o impacto da dieta na fertilidade da mulher. Assim, de acordo com elas, um fator primordial para quem quer engravidar é manter uma dieta saudável e introduzir alimentos com vitamina B12, ômega 3, alimentos com ácido fólico, entre outros nutrientes.

Além disso, as pesquisas ainda reforçam a importância de evitar doces, alimentos processados, que contém gordura trans, entre outros. Alimentação, vida saudável e prática de atividades físicas, aumentam as chances de gravidez.

Portanto, podemos listar alguns alimentos principais:

  • Ovos: alimento completo. Possui vitamina A, que contribui na produção de hormônios femininos. Já a B12, também presente, melhora a camada do útero que vai receber o embrião.
  • Leguminosas: fontes de proteína vegetal e ácido fólico, contribuem na formação de um feto saudável;
  • Folhas verdes: ajudam na ovulação e na produção de espermatozoides saudáveis;
  • Laticínios: são integrais de absorção lenta pelo organismo, garantindo uma menor oscilação da globulina. Essa proteína ajuda no transporte de hormônios ligados à fertilidade.

Analogamente, há alimentos que acabam contribuindo de forma negativa. Dentre eles, podemos citar alguns:

  • Gorduras trans: além de levar a obesidade e doenças como diabetes e hipertensão, prejudicam diretamente a fertilidade feminina.
  • Café em excesso: a cafeína em excesso prejudica a capacidade do organismo em absorver ferro e cálcio, nutrientes essenciais para o aumento da fertilidade. Dessa forma, você não precisa necessariamente evitar. Mas apenas, não consumir em excesso!

Boas noites de sono

Sim. Dormir bem ajuda na fertilidade. Nesse sentido, o hormônio do sono, a melatonina, tem ação antioxidante e é essencial para o processo reprodutivo. Dessa forma, ela equilibra a ação dos radicais livres, melhora a maturação e qualidade do óvulo. Assim, contribui consequentemente de forma positiva para a fertilização.

Reduza o stress

De antemão, sabemos que nos últimos anos, a humanidade tem lidado com muitos problemas relacionados à ansiedade e estresse. Ambos problemas provocam alterações hormonais que afetam a produção de óvulos, prejudicando assim, a fertilidade feminina. 

Portanto, é essencial que se encontre formas de reduzir e controlar o estresse. Podemos citar aqui técnicas de meditação, respiração profunda e outras atividades relaxantes. Aliado a isso, a prática de exercícios físicos também é fundamental.

Prevenção de DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis)

Além de prejudicar a saúde de ambos, mulher e homem, afeta também a fertilidade de ambos. A gonorreia, por exemplo, é uma doença que causa infertilidade. Dessa forma, destaca-se a importância do uso de preservativo nas relações sexuais.

Peso saudável

Em primeiro lugar, o peso é fator determinante no aumento da fertilidade. Portanto, mulheres que estão acima ou abaixo do peso considerável ideal, podem ter mais dificuldades para engravidar. O peso influencia na produção de hormônios, o que desregula a ovulação.

Dessa forma, manter o peso ideal para a altura e idade é de extrema importância, aumentando a fertilidade.

Evitar o tabagismo

Infelizmente, é um hábito de muitas pessoas, mesmo sabendo das suas consequências negativas para o corpo humano. Para as mulheres, em especial, o cigarro pode afetar a receptividade do útero, prejudicando a possibilidade de gravidez. 

Além disso, ele provoca o risco de aborto espontâneo, tanto nas gestações naturais, quanto naquelas que acontecem por reprodução assistida. Em suma, o fumo é inimigo tanto da saúde, quanto da fertilidade.

Em conclusão, se você estiver com dúvidas se há algo errado com sua fertilidade, procure ajuda de especialistas. Se você  e seu parceiro mantém relações sexuais frequentes, e não conseguem ter um filho, é bom buscar ajuda. Uma avaliação completa pode identificar a necessidade de pequenos ajustes, identificação de doenças e fatores que estão afetando negativamente na fertilidade.

Quer saber mais? Entre em contato conosco!

Artigo escrito pela Dra. Patrícia Varella 

Ginecologista, obstetra e especialista em reprodução humana assistida

INFORMAÇÕES DO AUTOR:

Dra. Patrícia Varella Especialista em Ginecologia, Obstetrícia e Reprodução Humana Assistida

Médica formada pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), também fez residência médica em Ginecologia e Obstetrícia na mesma instituição.
CRM-SP nº 93928